Junior Pontes
A Beleza da Vida e a Frágil Arte da Existência
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos

A MÁQUINA HUMANA
Eu vejo um mar de flores, mas não há nenhum jardim
Eu vejo um milhão de cores, mas tudo está apenas cinza
Eu quero somente fugir desta loucura
Estou perdido neste mundo por séculos.

Medo nunca foi uma barreira
As estrelas estão caindo todos os dias
Um céu coberto de nuvens
O deserto esta refletindo meus pesadelos.

O tempo devora tudo
Deixando apenas areia e ruínas
Sou uma máquina humana
Neste mundo de confusão.

Estou preso neste futuro escuro
Sem poesia, onde não há esperança
Estou procurando pela fé
Encontrar algo que nunca tive.

As vezes eu sinto o silêncio
As vezes ouço o som das armas
Através dos anos, eu vi o sangue e a vida
Mas agora, apenas um mundo vazio.

Esta engrenagem esta chegando ao fim
Não há lágrimas para secar
Embora o coração esteja sangrando
Meus olhos um dia viram a luz.

by Junior Pontes [lenno]
Junior Pontes
Enviado por Junior Pontes em 18/08/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários