Junior Pontes
A Beleza da Vida e a Frágil Arte da Existência
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos

POEMA DO ADEUS
Todas essas luzes ao meu redor e meu olhos estão cerrados
Às vezes eu sinto meus olhos arderem
Mas normalmente são quando eles estão abertos,
As luzes são tão fascinantes, alguns dizem que não existe escuridão.

Eu vejo um filme passando diante de mim
Algumas lacunas em branco sem um retrato
Aqui é mais frio que o normal, mas eu não sinto minhas mãos,
Estou anestesiado, é como um sonho ruim...

A última música que eu ouço é aquela que me faz lembrar você
As lembranças são como partes de nós mesmos
Eu acredito que lembranças são as coisas boas
Acho que as ruins são cicatrizes...Vão junto com a gente.

Hoje pela manhã eu te dei um beijo de bom dia
Esperando que a magia do sol esteja ao nosso lado
Boa noite Cinderela que as estrelas abençoe seu descanso
Ainda continuo paralisado, me sinto frágil e meio desesperado.

Está chovendo lá fora...
Eu gostaria de poder correr um pouco
Ainda me restam alguns minutos, sei lá, segundos talvez,
Deixe-me molhar meu rosto pela última vez.

Posso sentir o perfume das rosas
Eu sempre gostei de flores
Eu ainda vou morar em um jardim
Por que todas essas pessoas estão ao meu redor?

Hei, é você? Meu melhor amigo
Há anos não te vejo, estou feliz em vê-lo,
Por que demorou tanto para aparecer
O seu olhar ainda é o mesmo.

Meu amor...
Por que está chorando?
Por que esta vestida de preto?
Você sempre preferiu branco.

Minha respiração está difícil
Meu coração está calmo, tão sereno,
Mas sinto algo estranho
Eu ainda não consigo abrir meus olhos.

Eu quero te tocar, mas minhas mãos não te alcançam,
As lágrimas não tiram a beleza do seu olhar
A expressão mais verdadeira que eu conheci
E este sorriso, espero encontrá-lo na eternidade.

A chuva diminuiu, é possível ver o sol entre as nuvens,
Você está lendo alguma coisa
Eu me recordo destas linhas
A beleza da vida e a frágil arte da existência.

“O poeta não se calou, ele apenas está refletindo,
O seu mundo era feito de magias e encantos
Ele tinha um sorriso tímido, meio meigo e quase enigmático,
Acredito que sua alma está alegre e seu coração sorrindo
A cortina deste mundo se fechou para o mágico dos sonhos”

O perfume das flores está cada vez mais intenso
Há uma imagem de um anjo na parede
Suas asas estão abertas, é como se ele me abraçasse,
Por que todos estão indo embora, eu ainda nem abri meus olhos.

Eu ainda gostaria de dizer algumas palavras
Algo sobre inocência ou amor
Sobre a beleza e os sonhos
A inocência, o amor e os sonhos das crianças,
A beleza da natureza.

Este é meu último verso
Eu gostaria que ele não fosse triste, apenas verdadeiro,
Como a imagem que é refletida no espelho.

by Junior Pontes [LENNO]
Junior Pontes
Enviado por Junior Pontes em 17/12/2011
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários